Santa Casa pede apoio à Câmara Municipal

Em encontro com vereadores, integrantes da Provedoria mostraram a situação do hospital.

Integrantes da Provedoria da Santa Casa de Misericórdia de Descalvado apresentaram a situação do hospital em encontro com os vereadores após a sessão ordinária de segunda-feira, 10 de outubro. Eles pediram apoio da Câmara Municipal para resolver os problemas que afetam a instituição, que completará 121 anos de existência em novembro deste ano.O administrador Wilder Bertonha revelou que a dívida da Santa Casa atualmente é de pouco mais de R$ 2,5 milhões e demonstrou preocupação. “A situação é muito difícil, somente trabalho beneficente não será suficiente para resolver os problemas, por isso precisamos do apoio da Câmara Municipal e de toda a sociedade”, afirmou.

De acordo com Bertonha, a receita média mensal da instituição é de quase R$ 508 mil contra uma despesa de R$ 590 mil. Esses valores são referentes ao período de janeiro a agosto de 2016. “Se nada for feito pela Prefeitura, Câmara Municipal e sociedade, corremos sérios riscos de perder uma vida”, frisou.
RAIO X – Contando no momento com 106 colaboradores, dos quais 39 médicos, a Santa Casa, somente no período compreendido entre janeiro e agosto deste ano, já atendeu a 41.736 descalvadenses, o que dá uma média de 116 pessoas por dia.Em 2016, já foram 476 cirurgias e 523 internações, entre clínica médica e pediatria. Esses números não incluem os partos realizados no hospital. Desse total, 165 cirurgias referem-se a pacientes de convênios e particulares, e 178 internações de pessoas que pagam planos de saúde e particulares.Preocupado com o quadro, Bertonha alertou os vereadores que “estamos perdendo bons profissionais e médicos por falta de condições físicas, materiais e equipamentos”. Segundo o administrador, “também estamos perdendo clientes/pacientes por não oferecer instalações mais adequadas”.

APOIO – Na avaliação dos vereadores, a Câmara Municipal pode e deve contribuir na busca por alternativas e soluções para os problemas enfrentados pela Santa Casa. Para os parlamentares, o fato de a direção estar abrindo as contas e mostrando, pela primeira vez, a situação real da instituição, demonstra transparência e seriedade por parte da atual Provedoria.

A Câmara poderá contribuir financeiramente com a Santa Casa, uma vez que a Mesa Diretora pode devolver R$ 550 mil referentes ao duodécimo à Prefeitura. Parte desse montante poderá ser revertido à instituição. Também estiveram presentes Sidnei Pizza, provedor, e José Emílio Belli, presidente da Mesa Diretora da Santa Casa.

Posted on: 21 de outubro de 2016